Procissão de Santa Rita de Cássia @ Belo Horizonte, MG

 

“Em 22 de março de 1929 foi realizada a primeira festa no alto da ‘Villa Mendonça’, local onde hoje está localizada a subestação da CEMIG. Nesse dia foi colocado um Cruzeiro, marco da religião católica e idealizada a construção de uma capela. Como Santa Rita de Cássia era a padroeira da ‘Villa Mendonça’, foi também decidido que a capela receberia o seu nome. A Villa pertencia à Paróquia Nossa Senhora do Carmo.

No ano seguinte, em 18 de fevereiro, foi celebrada a primeira Missa no Cruzeiro. A devoção a Santa Rita por todo o povo da região começou nessa data.

No ano de 1931, no dia 22 de maio, dia devotado à Padroeira, foi celebrada Missa campal e procissão.

Em 22 de maio de 1932 foi novamente realizada a Missa seguida de procissão.

Em 31 de maio de 1942, na Casa Paroquial dos Padres Carmelitas (Igreja Nossa Senhora do Carmo) foi realizada a 1ª reunião da Comissão Construtora da Capela. Em 08 de julho de 1945 foi apreciada a planta da capela que seria construída nos lotes 18, 19 e 20 do quarteirão 8 da 2ª Seção Suburbana (Rua São Domingos do Prata, local onde a Igreja está até hoje)” (http://www.paroquiasantaritabh.com.br/)

A tradicional procissão se realiza anualmente no dia 22 de maio, que é reservado à devoção de Santa Rita. Abaixo o registro fotográfico da procissão deste ano. 

vejadecima

Mineração Lagoa Seca @ Belo Horizonte, MG

Instalada atrás da Praça JK e da Vila Acaba Mundo, a Mineração Lagoa Seca encontra-se há mais de sessenta (60) anos em plena operação no pé da Serra do Curral.

No local há jazida de extração de dolomita, mineral composto principalmente de carbonato de cálcio e magnésio – CaMg(CO3)2 – , muito utilizado pela indústria como fonte de magnésio para fabricação de materiais refratários.

Além de sua utilização pela indústria de mineração e fabricação de refratários, a dolomita tem apresentado repercussão na área da saúde. Atualmente, há medicamentos produzidos a partir da dolomita que prometem suplantar a carência do Cálcio e Magnésio, agindo diretamente no sistema nervoso e, com isso, ajudando no aumento do desempenho do sistema cardiovascular e evitando tromboses.

vejadecima

Santa Tereza @ Belo Horizonte, MG

“Em Belo Horizonte, é comum encontrar lugares onde o antigo e o atual se misturam. Em alguns bairros, a nostalgia se apresenta nas ruas e construções. É o caso do bairro Santa Tereza, que recebeu esse nome, em 1928, numa homenagem à igreja que fica na praça Duque de Caxias.

Santa Tereza ganhou fama de ser um dos mais tradicionais redutos boêmios da cidade graças às casas de serestas e bares. Pessoas ligadas à arte costumavam se encontrar para confraternizar, compor música, dançar e cantar durante as madrugadas. Desses encontros nasceram movimentos musicais e bandas famosas, como o Clube da Esquina, o Skank e a banda de rock Sepultura.

Além da seresta, o carnaval também já foi um dos grandes atrativos do bairro. O desfile do bloco carnavalesco Banda Santa era realizado sempre uma semana antes do carnaval e arrastava multidões pelas ruas do bairro.  A escola de samba Unidos de Santa Tereza também desfilava pelas ruas do bairro e foi campeã do carnaval, em 1991. As duas eram formadas por moradores do bairro. Com o renascimento do Carnaval de Belo Horizonte, os blocos de rua do bairro também causam movimento intenso no bairro durante o período de folia.

A Praça Duque de Caxias, a mais famosa do bairro, é um dos pontos mais visitados do Santa Tereza por ser um ambiente agradável, com muito verde e sombras generosas para quem deseja descansar. O lugar atrai pessoas de todas as idades e é muito familiar. Rodeada de bares e restaurantes, se tornou um local interessante também para a realização de shows e manifestações culturais”.
Fonte: http://www.belohorizonte.mg.gov.br/bh-primeira-vista/historia/santa-tereza-o-bairro-mais-boemio-de-bh

vejadecima

Praça Rui Barbosa (Praça da Estação) @ Belo Horizonte, MG

“Foi através do antigo ramal ferroviário que chegou todo o material necessário para a construção da nova capital das Minas Gerais. Em 1888, Belo Horizonte ganha o seu primeiro relógio público da cidade, no alto da torre da estação. A construção da praça teve início em 1904 e, desta época, destacam-se até hoje nos jardins os dois leões em mármore, encomendados ao artista belga Folini. Com o rápido crescimento da cidade, foi necessária a construção de uma nova estação ferroviária, inaugurada em 1922, em estilo neoclássico. No largo, encontra-se também o Monumento à Terra Mineira, estátua de bronze que homenageia os heróis da inconfidência. O prédio ao lado, construção retangular, servia como dormitórios e escritórios da Rede Ferroviária Federal S/A. No prédio da estação, fica a maquete de ferreomodelismo, uma representação de mini ferrovia.
A Praça Rui Barbosa é atualmente um dos principais espaços públicos para a realização de shows e eventos. Nela acontece uma das maiores festas juninas do país, o Arraial de Belô. Abriga ainda a Estação Central do Metrô e o Museu de Artes e Ofícios, o único museu do gênero na América Latina, implantado em um belo edifício neoclássico”.

Fonte: http://www.belohorizonte.mg.gov.br/local/atrativo-turistico/praca-rui-barbosa-praca-da-estacao

vejadecima

Praça da Liberdade @ Belo Horizonte, MG

“A Praça da Liberdade foi construída em 1903, sobre grande influência do paisagismo inglês naturalista. Foi um dos principais projetos do engenheiro Aarão Reis dentro do planejamento da nova capital. Os jardins só foram concluídos em 1905, sob o projeto de Paul Villon. Mais tarde, em 1920, por ocasião da visita dos reis da Bélgica, sua reforma sofreu grande influência do paisagismo francês, ganhando traçado geométrico, inspirado nos jardins do Palácio de Versailles. Os terraços, os lagos, as vegetações e as esculturas complementam sua arquitetura e reafirmam essa influência. O objetivo da praça foi, durante muito tempo, abrigar a sede do poder mineiro, composta pelos prédios do Palácio do Governo e das primeiras Secretarias de Estado. Ao longo dos anos, o complexo foi recebendo construções de diferentes estilos arquitetônicos, sendo hoje tombado pelo Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais – Iepha-MG.
Pela sua localização privilegiada, a Praça da Liberdade se tornou um dos locais mais visitados de Belo Horizonte. Os moradores se apropriaram deste espaço, onde acontecem caminhadas, piqueniques, eventos, música, teatro etc. No seu entorno, foi implantado o Circuito Cultural da Praça da Liberdade. Cada prédio, que antes era utilizado pelas Secretarias de Estado, foi transformado em um espaço cultural aberto à visitação”.

Fonte: http://www.belohorizonte.mg.gov.br/local/servico-turistico/espaco-para-evento/aberto/praca-da-liberdade

vejadecima

Estádio Raimundo Sampaio (Independência) @ Belo Horizonte, MG

“Estádio Raimundo Sampaio, mais conhecido como Estádio Independência, é um estádio de futebol localizado no bairro do Horto, em Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil e foi inaugurado em 1950 para a Copa do Mundo de futebol realizada no Brasil. Ao passar por reformas de modernização para ampliar a segurança e o conforto, foi rebatizado como ‘Arena Independência’ em 2012.

Inicialmente com capacidade para 30.000 pessoas na arquibancada e capacidade para 23.018 pessoas em pé, no total 53.018.

Pertenceu no passado ao licenciado Sete de Setembro Futebol Clube, razão pela qual o estádio é chamado de Independência.

Atualmente é propriedade do América-MG. O nome original é uma homenagem a um ex-presidente do Sete de Setembro”.

Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Est%C3%A1dio_Raimundo_Sampaio

vejadecima